Em 36 edições do Congresso Brasileiro de Espeleologia, apenas duas vezes o evento foi sediado na região Sul do Brasil: em 1991, em Curitiba, organizado pelo GEEP-Açungui, e no ano de 2011, em Ponta Grossa, organizado pelo GUPE. Muita coisa mudou desde então: novos espeleólogos e espeleólogas, a descoberta de novas cavernas, o uso de novos métodos e técnicas de investigação e a ampliação do conhecimento espeleológico, seja na região metropolitana de Curitiba e nos Campos Gerais, seja no Paraná como um todo. Concomitantemente, o crescimento das áreas urbanas e de diferentes atividades econômicas, demandando a ampliação da infraestrutura do estado, tem pressionado cada vez mais os ambientes cársticos e espeleológicos. Tais fatos evidenciam a importância de uma nova edição do CBE na região Sul, especificamente em Curitiba, de modo a promover o patrimônio espeleológico e cárstico local e regional e dar visibilidade à realidade espeleológica fora do eixo tradicional, centrado na região Sudeste do país.

A cidade de Curitiba, capital do Estado do Paraná, que recepcionará o 37º CBE, está localizada no Primeiro Planalto Paranaense, setor onde afloram as rochas mais antigas do estado, pertencentes ao embasamento proterozoico. Mas no geral, não é conhecida tanto por sua geodiversidade, mas sim pelas inovações urbanísticas implementadas ao longo do tempo, principalmente os parques urbanos e o sistema de transporte público, e também por sua proposta de cidade ecológica e pelas baixas temperaturas no inverno!

Sua escolha para sediar o 37° Congresso Brasileiro de Espeleologia (CBE) em 2023 é estratégica, uma vez que possui ótima infraestrutura para eventos, além de ser bastante acessível tanto por via terrestre como por via aérea a partir de todas as regiões do Brasil e mesmo de outros países, vizinhos ou além mar. A proximidade de regiões com significativo patrimônio espeleológico é outro fator relevante, principalmente por permitir um leque variado de opções de tipos de cavernas em diferentes litologias, desde as clássicas cavernas em rochas carbonáticas até cavidades em rochas areníticas e graníticas.

Curitiba é a sede do Grupo de Estudos Espeleológicos do Paraná, o GEEP – Açungui, e está localizada muito próxima de Ponta Grossa (cerca de 120 km), sede do Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas, o GUPE. Ambos os grupos, com seus mais de 36 anos de existência, são, atualmente, as principais instituições atuando com prospecção, pesquisa e conservação de cavernas no Paraná, e têm estreitado cada vez mais entre si parcerias e colaborações em projetos e ações relacionadas ao patrimônio espeleológico do estado. Agora, esses dois grupos se unem na missão de organizar localmente o 37º CBE, uma realização da Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE que contará novamente com a parceria do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas – CECAV/ICMBio.

Desde já convidamos a toda a comunidade espeleológica brasileira para que coloque o 37º CBE em sua agenda e em seu planejamento. Esperamos vocês em Curitiba!

Realização

Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE e Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas – CECAV/ICMBio

Organização

Grupo de Estudos Espeleológicos do Paraná – GEEP-Açungui e Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas – GUPE